[ editar artigo]

Novos hábitos, novos meios de conduzir os negócios

Novos hábitos, novos meios de conduzir os negócios

Quando falamos em um cenário pós-Covid, precisamos, primeiro, saber quando será, efetivamente, o pós-Covid. Ao que parece, mesmo que tenhamos expectativas de que a vacinação consiga controlar o coronavirus já em 2021, ainda haverá países que seguirão na luta no próximo ano. Outros, ainda, vão ter que encarar muitas sequelas.

Na economia, os estímulos fiscais e monetários proporcionados por vários países nos fazem acreditar que as perspectivas são positivas. A inflação também seguirá em alta, o que levará os Bancos Centrais, principalmente o norte-americano – e, consequentemente, o do Brasil – a elevar os juros.

No pós-pandemia, compreender o “core” da empresa será fundamental, bem como desenvolver um relacionamento mais profundo com colaboradores. Falo, aqui, do “core” dos indivíduos. As organizações cada vez mais deverão pensar – e agir – não apenas com base no interesse de seus acionistas, mas olhando para seus funcionários, clientes e fornecedores e também para o entorno, comunidade, num senso comum cada vez mais forte. O que vai mover a economia é o comportamento das pessoas. Novos hábitos, novas indústrias.

E ao contrário do que se falava no início da pandemia, ficar em casa não significou estagnar. Ficar em casa significou a adesão a novas tecnologias por parte dos consumidores e a criação (ou mudança no “como fazer”) por parte das empresas. A inovação fez e fará a diferença nas empresas. O maior exemplo disso são as companhias de biotecnologia, com a rapidez no desenvolvimento de vacinas.

Independentemente de setores, contudo, a velocidade da mudança no comportamento dos consumidores exigirá, também, rapidez nas respostas. Mais ainda: saber antecipar as mudanças será crucial para a continuidade das empresas. O empreendedorismo estará no cotidiano das pessoas – assim como erros e acertos.

Cabe aos gestores – e ao conselho – agilidade nas decisões, foco na inovação, foco em questões ESG, foco em geração de valor (para todos), foco em sustentabilidade. São pontos, afinal, cruciais para atrair talentos que possam colocar em prática o propósito da organização.

Governança & Nova Economia
Ler conteúdo completo
Indicados para você