[ editar artigo]

Gonew Map: como lidar com celebridades em conselhos

Gonew Map: como lidar com celebridades em conselhos

A nomeação da cantora Anitta como a mais nova integrante do Conselho do Nubank na última segunda-feira (21) chamou a atenção de membros da alta gestão do país – e, claro, levantou questionamentos sobre os atuais modelos de governança adotados.

Não suficiente para alavancar debates, um dia após a integração, o banco BV (antigo Banco Votorantim) anunciou a contratação da atriz Taís Araújo como embaixadora e colaboradora por um prazo de três anos. Ela terá participação na cocriação de produtos, com foco em meio ambiente e também nas mulheres.

E esses não são os únicos casos. Além de garotas-propaganda, outras “estrelas” também têm voz ativa dentro das empresas. A cantora Iza, por exemplo, é diretora criativa da marca de calçados esportivos Olympikus. A ex-BBB Manu Gavassi atua como chefe de conteúdo na Tanqueray, e a atriz Marina Ruy Barbosa já foi codiretora de coleções de joias na Vivara. Além disso, desde 2019, a própria Anitta exerce o cargo de chefe de criatividade e inovação da Cervejaria Ambev.

Positivo ou não, o “recrutamento” de celebridades para os conselhos das organizações levanta dúvidas por parte de diversos atores da governança corporativa. Ainda que a integração possa ser uma promoção da diversidade nos ambientes tradicionais dos conselhos, é preciso cautela por parte das empresas no momento de lidar com “estrelas” nos boards.

Pensando nisso, preparamos um Gonew Map com alguns cuidados necessários no momento de nomear celebridades. O guia foi desenvolvido com base em uma reportagem publicada pelo site Corporate Board Member. Confira!

 

Governança & Nova Economia
Ler conteúdo completo
Indicados para você